top of page

A mulher que não foi

A mulher que não foi…

Que poderia ter sido, mas não deu;

Que se encheu de esperanças e foi,

Mas o destino não quis que tivesse

O que parecia ser tão seu…

 

A mulher que fez de tudo para acontecer

E que queria ser grande a tal ponto

Que todos se lembrassem dela

Por ter contribuído com alguma coisa!

 

A mulher que queria recomeçar

Toda a história da mulher até aqui

E fazer Maria Quitéria se ajoelhar

Diante do que ela poderia fazer…!

 

A mulher que, destemida, pretendia

Reconstruir o mundo num só dia

E fazer cada canto seu clamar

Por essa sua Imperatriz Gregoriana!

 

Mas, à medida que a tarde se ia,

Ela viu seus restos partirem ao longe

E entendeu que o sonho a deixava

Para adentrar aquela densa noite…

 

Admirou, assim, triste, o que ficava dela,

A esperar que se salvasse alguma coisa!

Porém, nada a impedia de minguar

Àquela janela que tanto clamava:

“Oh, Gregória…! Oh, Gregória…!”.

                                                                                                                                                                 Março/2024

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A escola

Comentarios


bottom of page